Ícones da sabedoria popular dos imigrantes trentinos, refletem a sociedade de conflitos e dificuldades do então Tirol Italiano (Europa) a partir do século 18. Muitas destas expressões se mantêm vivas até hoje em Nova Trento, não somente pelo uso na linguística dialetal da comunidade, mas também pelo significado moral que engendram. “O Trentino” apresenta alguns provérbios, na versão em dialeto, seguida da tradução ao português. A fonte histórica é o livro “Proverbi del Trentino”, de Umberto Raffaelli.

Chi dorme col cagn leva coi pulesi
Quem dorme com os cachorros, acorda com as pulgas

Galina vecia fa bon brodo
Galinha velha faz molho bom

Chi masa sbaia se’mpienis  la pancia di ária
Quem muito late enche a barriga de vento

L`aqua la fa mal e l’vin el fa cantar
Água faz mal e vinho faz cantar

Chi beve senza misura tant temp no se dura
Quem bebe sem medida não vive muito tempo

Chi che l’è tes no l’crede a un fama
Quem está satisfeito não acredita em quem tem fome

La prima galina che canta l ‘há fat l ‘of
A primeira galinha que canta é aquela que colocou o ovo

La fam la fa far salti, l’amor ancor più alti.
A fome faz pular, o amor ainda mais alto.

Dona de finestra no l aval na minestra
Mulher que permanece o dia todo na janela não vale nada

Em do che no canta né gal né galina la casa va en rovina
A casa que não tem comando por parte do pai ou da mãe cai em desgraça

Quando manca il gat i sorzi i bala
Quando na casa falta o patrão os empregados dançam

Can che sbaia non morde
Cão que ladra não morde

Ciapa ‘l mondo come ‘l ven
Aceita o mundo como ele é

Loda el mont e tieniti al pian
Admire a montanha, porém permaneça na planície

Al mondo gh’è chi pianse e gh’è chi ride.
No mundo convivem: a tristeza e a alegria

Dal molin e da la sposa sempre nasce qualche cosa
Do moinho e da mulher sempre surge algo de novo

No prestar fede a òm che giura a caval che suda e a dona che pianse.
Não dar crédito a homem que jura, a cavalo que sua, e a mulher que chora

Le bele parole non le impienis la panza
Palavras bonitas não enchem barriga

No l’è tut or quel che lose.
Nem tudo o que brilha é ouro

Chi laora magna, chi non laora magna e beve.
Quem trabalha come e quem não trabalha come e bebe

Tuti i gropi i ven al peten.
Todos os nós chegam ao pente; ou seja, as coisas mal resolvidas um dia ou outro batem à porta

Fatt el lett e spazzà se la dona l’è poreta nessun el sa
Quando a casa está bem cuidada e limpa não há nenhuma importância se a mulher é de origem humilde

No comprar dona o tela a lusór de candela
Mulher e obras de arte não se julgam à luz de velas

La dona l’ei come el temp, la cambia ogni moment
A mulher é como o tempo, muda de ideia a todo momento

Vegnir veci l’è bel, esser veci l’è brut.
Envelhecer é gratificante, ser velho é terrível

Chi se marida se ‘ntriga.
Quem se casa vai ao encontro de problemas

Varda la mare e ssposa la fiola.
Observa a mãe e casa com a filha

Vedova inamorada, tèmp de poca durada.
O amor das viúvas dura pouco tempo

Chi sta coi lupi ‘mpara a urlar.
Quem convive com lobos aprende a uivar

Piutost che la roba la vanza che  crepi la panza
Antes do que jogar comida fora, que dê indigestão

Done ani e biceri no se i conta mai!
Mulher, anos de idade e copos de vinho, nunca se contam

Chi va a dormir senza cena ,tuta la not el se remena
Quem vai dormir sem comer passa a noite inteira se virando de um lado para o outro

Chi è presto a magnar è presto a laorar
Quem come rápido, trabalha rápido