posts

Por cinco votos contra e quatro a favor, a maioria da Câmara de Vereadores negou a prorrogação, por mais 90 dias, no prazo para que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada no Legislativo municipal consiga mais documentos e finalize o relatório em que apura responsabilidades por supostas irregularidades apontadas pelo vereador Genésio Piazza (MDB) nas obras de pavimentação das ruas Henrique Mescke e Clemente Demonti, e na obra de acesso à ponte Ângelo Cipriani, feitas pela Prefeitura.

Os membros da CPI – os  vereadores Genésio Piazza (MDB), Carlos Roberto Orsi (PSDB) e Silvio Corrêa (PP) – devem decidir agora que providências adotar.

Conforme descrito no requerimento para a constituição da CPI, as irregularidades  nas obras em questão seriam as seguintes: na rua Clemente Demonti, o projeto diz que as guias que separam a calçada do leito transitável da via pública têm medidas de 100x30x12x15 centímetros.

Em vistoria “in loco”, os três vereadores AVALIARAM que a parte exposta das guias tem somente 10 centímetros, deduzindo-se  que a parte enterrada da mesma não contenha os 15 centímetros conforme o projeto.

Na rua Henrique Mescke o projeto informa que as guias têm 100x30x12x15 centímetros. No entanto, relatam os vereadores no requerimento, as guias assentadas possuem 100x30x10x10 centímetros, estando, dessa forma em desacordo com o projeto.

Por fim, na obra da ponte Ângelo Cipriani, o projeto determina que as guias deveriam ter 100x30x12x12 centímetros. Todavia, restou comprovado que as que foram assentadas medem 100x30x8x8.

 

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome