posts

Pela primeira vez em sua história esportiva, Nova Trento participa oficialmente de uma competição oficial do calendário do basquetebol de Santa Catarina. Uma equipe sub-13, que representa a Sociedade Recreativa Humaitá, estreou no início deste mês no Campeonato Catarinense. O projeto é coordenado pelo ex-atleta e agora treinador Daniel de Paula, o Hut, e tem apoio do núcleo social de Brusque e Claraíba.

As crianças são recrutadas nas escolas municipais e ganham todo suporte e estrutura da FCB e Trimania para a prática da modalidade. “São crianças que chegaram aqui sem saber nada, e hoje já começam a mostrar os primeiros fundamentos do basquete, que gostam de vir e participar da modalidade. Tenho um orgulho enorme de estar fazendo parte desse projeto e atrair essas crianças para a prática esportiva”, destaca Hut.

Até o momento, o grupo fez três jogos e ainda não venceu nenhum na competição, mas isso é o que menos importa para o treinador. “Foram 30 dias para apresentar para eles as regras, os movimentos e ver eles participando de uma competição da Federação”, diz o treinador, que completa:

“Vê-los competindo e querendo mais, não tem preço. O resultado, a gente vai ter que trabalhar, não adianta, basquete é isso, cada dia vamos melhorar para chegar no nível das outras equipes”.

Primeiro passo

Segundo o presidente da FCB, Oscar Archer, que é natural de Nova Trento, é uma satisfação pessoal ver uma equipe sendo formada na cidade e esse projeto é apenas um primeiro passo. “Eu sempre digo: tudo tem uma primeira vez. Quando eu cheguei na federação encontrei arquivos velhos, madeira com cupim, não tinha cadeira para sentar e chovia lá dentro, foi o que eu encontrei e hoje ela é o que é graças ao trabalho”, destaca.

“Eu disse ao Hut, vamos encarar, não é um bicho de sete cabeças. Todo mundo tem que ver que a modalidade existe e tem jovens e crianças que querem jogar basquete, tem pais na arquibancada que estão apostando nesse projeto. E esse trabalho em conjunto de Brusque com Nova Trento, eu tenho certeza que, no máximo em 10 anos, haverá equipes competitivas. Isso é o começo, já é importante mostrar que existe, que são capazes de fazer e continuar fazendo. Vamos apostar nisso”, observa.

Formação e empenho da equipe já é considerada uma vitória pelo treinador. Foto Sidney Silva

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome