posts

A pequena comunidade de Oito Casas é uma das mais distantes em relação à sede do município de Nova Trento: 45 km, e das menores, fazendo atualmente jus ao nome, pois são oito as famílias que moram lá, proprietários ou agregados. Oito Casas se destaca pela concorrida festa do padroeiro São Cristóvão. De toda parte, inclusive dos municípios vizinhos de Brusque, Botuverá, Guabiruba, Vidal Ramos e Leoberto Leal vêm famílias para a festa e sempre voltam para casa elogiando a agradável acolhida com que foram recebidos. Especialmente é grande o número de jovens que vão à festa em suas motos, em homenagem ao padroeiro São Cristóvão.

Capela São Cristovão/ Oito Casas. Foto: Carlinhos

Por que o nome “Oito Casas”?
Seu Antônio Loffy conta:

Oito famílias vieram da Alemanha e se embrenharam nas terras devolutas do belo vale, para colonizar o lugar. Mas, para eles não deu certo. Não ficaram mais de um ano, abandonando o projeto. Então entrou a família de João Cavilha, depois um Ventura, depois as famílias dos Loffy e dos Bunn. Essas famílias se localizaram em três núcleos: um núcleo no meio, em pleno vale; outro, subindo à direita, ao alto da serra, até o pé co chamado “Parau”, que faz divisa com Botuverá; e o terceiro núcleo, para a esquerda, em direção ao município de Leoberto Leal. Todas essas famílias enviavam suas crianças para a escola, no vale, da qual ainda ficam paredes em pé.

COMUNIDADE RELIGIOSA: Todas as famílias são católicas. Como já dissemos, o padroeiro é São Cristóvão, invocado como protetor dos motoristas. Antes de haver uma primeira igreja, Ivo Hillesheim, o professor, dirigia o culto, aos domingos, na escola, diante da imagem de São Cristóvão. Em 1993 foi construída a atual capela, Todas as famílias ajudaram. A família de João Bunn deu o terreno para a capela e o salão comunitário.

O salão foi sendo ampliado, à medida que isso se fazia necessário pelo número grande de pessoas que, como dissemos, vinham para a festa anual do padroeiro. Logo atrás da capela havia um morro, isolado e bastante alto. As diretorias tomaram uma decisão corajosa: meteram as máquinas, demoliram o morro e, com o grande volume de terra que representava, ampliaram os pátios ao redor da capela, formando assim um belo lugar para estacionamento de carros e motos.

Na origem da construção da capela está um fato que se conta como milagroso:

São Cristóvão protegeu dum incrível acidente a família Brogni. O caminhão deles, com seis pessoas, rolou barranco abaixo, na estrada entre Alto Capivara e Oito Casas. O pai gritou: “São Cristóvão, salva meu filho!” E todos se salvaram.

Como se chega a Oito Casas?

Um quilômetro antes de chegar à igreja de Conquista, deixa-se a estrada geral Nova Trento-Leoberto Leal, tomando à direita uma estrada mais estreita, bastante boa, mas cheia de curvas. Depois de dois quilômetros, atravessa-se o conjunto de casas de Alto Capivara, onde, há uns 25 anos atrás, também funcionava uma escola. Dali, seguem os últimos dois quilômetros de constante subida e, finalmente, se chega à capela de Oito Casas. Contam que, anos atrás, um dos padres de Nova Trento, dizia, que, de junto daquela capela, mais perto do céu, o olhar da gente se pode estender sobre toda a paróquia de Nova Trento. Belas roças de mandioca, milho e fumo são testemunhas do esforçado trabalho agrícola das famílias do lugar, cujo puro ar do alto da serra deve ser muito saudável.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome