Home topo

A Secretaria de Saúde e Desenvolvimento Comunitário informa que foram registrados 12 pacientes residentes em Nova Trento que contraíram dengue em outras cidades e um paciente que contraiu a doença no município.

Segundo a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica do município, Vanderlita Trainotti, outras 20 pessoas estão aguardando o resultado do exame para comprovar se contraiu dengue. Em oito o resultado foi negativo.

Com pacientes doentes em Nova Trento  e com o mosquito presente, o município pode registrar mais casos. Por isso, a enfermeira alerta que é necessário dar atenção aos locais com água parada.

O município também registrou aumento de focos do mosquito da dengue (Aedes aegypti) em Nova Trento. Em 2021 foram registrados 30 focos. Em comparação, de janeiro a abril de 2022 já foram encontrados 22 focos do mosquito, que também transmite chikungunya e zika vírus.

Neste ano os focos foram encontrados no Centro da cidade, e bairros Vígolo, Mato Queimado e Ponta Fina Sul, todos na área urbana do município.

Sintomas –  A Secretaria de Saúde adverte a população que apresente sintomas sugestivos de dengue, deve  procurar as Unidades Básicas de Saúde ou a unidade hospitalar do município, que irá notificar o caso para a Vigilância Epidemiológica.

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos.

Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Além disso, a perda de apetite, náuseas e vômitos também podem se manifestar.

“Os moradores com sintomas da doença devem procurar atendimento o mais rápido possível, pois a dengue é uma doença grave, e deve ser tratada da forma correta, pois os contaminados podem vir a óbito”, ressalta a secretária de Saúde, Maria Cristina Adami.

Prevenção  – De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), ações conjuntas entre a Prefeitura e os moradores podem prevenir os focos e afastar a chance de contrair a doença.

É essencial manter os cuidados básicos, principalmente eliminando os locais que possam acumular água e descartar corretamente o lixo. Outras ações como manter piscinas e calhas limpas, não acumular entulho e cobrir caixas d’água também são considerados atos de prevenção.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome