Home topo

Numa ação legislativa que também pode beneficiar o setor de Nova Trento, os prefeitos de Pinheiro Preto, Tangará e Videira, no Meio-Oeste catarinense, ocuparam a tribuna da Assembleia Legislativa, semana passada, para reivindicar a redução da alíquota de ICMS cobrada sobre o vinho produzido no Estado. Eles vieram à Alesc a convite do deputado Padre Pedro Baldissera (PT) para divulgar a 9ª Mostra do Vinho, que será realizada no mês que vem, em Tangará.

Segundo o prefeito de Videira, Dorival Carlos Borga (PSD), a vitivinicultura é uma das principais atividades econômicas das três cidades situadas no Vale do Rio do Peixe. Só em Pinheiro Preto, conforme Borga, 28% da economia depende da produção de uva e de seu processamento.  Em Santa Catarina são 134 indústrias, sendo que 96 produzem vinhos e 28, suco. É um setor muito importante, que agrega valor para as propriedades rurais, que são pequenas e voltadas à agricultura familiar.

Um dos maiores problemas enfrentados atualmente pelos produtores da região é a informalidade e o contrabando. Além disso, concorrem com os vinhos do Paraná e do Rio Grande do Sul, que pagam alíquota de 18% do ICMS, enquanto em Santa Catarina a alíquota é de 25%. Deputados concordaram com a reivindicação apresentada pelos prefeitos. Milton Hobus (PSD) lembrou que no ano passado a Assembleia aprovou emenda para a redução do imposto do vinho, mas o Executivo vetou a iniciativa.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome