O “Dia D” de nova etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo acontece neste sábado, 15. Em Nova Trento as doses serão disponibilizadas das 8  às 17h30h na Unidade Básica de Saúde Madre Paulina, no Centro. Para receber a imunização, é necessário apresentar Cartão do SUS e a Carteirinha de Vacina.

A principal novidade é a ampliação da faixa etária da campanha, que passou a ser dos 6 meses até os 49 anos. Conforme diretrizes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), o seguinte esquema vacinal contra a doença deve ser observado:  6 meses de idade, dose zero;  1 ano, primeira dose;  1 ano e 3 meses: segunda dose; até 29 anos, a pessoa precisa ter duas doses; de 30 a 49 anos, a pessoa precisa ter uma dose.

As pessoas com o esquema completo de doses não precisam tomar a vacina novamente.

A recomendação é que toda a população se vacine e se proteja contra o sarampo, que, após vários anos controlado voltou a gerar preocupação no Brasil. Em Santa Catarina, desde o ano passado, foram confirmados 319 casos (dados atualizados até 25 de janeiro). A faixa etária mais acometida, com 73,6% dos casos, foi a compreendida entre 15 e 29 anos.  A campanha segue até dia 13 de março.

O que é a doença

O sarampo é uma doença infecciosa grave, ocasionada por um vírus que pode ser letal. A transmissão ocorre por meio da tosse, fala, espirro ou respiração de pessoas contaminadas. A única maneira eficaz de evitar o sarampo é por meio da vacina. Os principais sintomas surgem entre 10 e 14 dias e ocasionam febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz congestionado ou com corisa escorrendo e mal-estar intenso.

Outros sinais podem surgir como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que ainda podem se espalhar pelo corpo. Entre as complicações mais comuns decorrentes do sarampo estão infecções bacterianas como pneumonia ou otite (inflamação no ouvido). Também podem ocorrer sequelas mais graves, como encefalite (infecção cerebral) e lesões cerebrais.

Segundo levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, 18.203 casos da doença foram confirmados no país em 2019.

O surto começou em julho e perdeu força em outubro. As autoridades registraram 15 mortes: 14 em São Paulo e uma em Pernambuco. Em todo o Brasil, 9% dos municípios tiveram casos constatados em 2019. Entre as vítimas, 17% tinham entre 5 a 19 anos. Em 2020, as autoridades detectaram 202 casos, dos quais 74,3% estão concentrados na Região Sudeste (São Paulo e Rio de janeiro). Até o momento,  não há mortes provocadas pela doença no Brasil em 2020.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome